ÁREA CIENTÍFICA BLA
PERIODICIDADE Semestral
HORAS TOTAIS 84
HORAS DE CONTACTO 36
TIPOLOGIA Teórica
ECTS 3


Resumo

História da evolução do gosto e do “belo”, sobretudo a partir da renascença (entre os séculos XIV e XVI) até aos dias de hoje. Estes valores refletem-se não só no que se refere a hábitos ou costumes, mas também no que respeita à maneira de vestir, à decoração, que se foi acentuando mais intensamente a partir da belle-epoque, culminando na total desarmonia do homem com o meio ambiente. Como tal, é importante refletir não só sobre a evolução do valor estético, mas também sobre a sua posição ética e estética, enquanto profissional, em relação à sociedade e à natureza.

Objetivos da aprendizagem

Conhecer e potenciar uma visão abrangente, progressiva, contextualizada e crítica das problemáticas associadas à receção;
Capacitar para contemplação e fruição da cultura material e visual a nível da arte, design e arquitetura ao longo dos vários tempos históricos;
Desenvolver capacidades de observação e reflexão sobre as mudanças sentidas ao nível dos comportamentos, da moral e da sensibilidade;
Entender as mudanças que influenciam as formas dos objetos e as influências mútuas;
Refletir não só sobre a evolução do valor estético, mas também sobre a sua posição ética, enquanto profissional, em relação à sociedade e à natureza, desenvolvendo­se a sensibilidade estética, o sentido crítico e a abrangência cultural;
Desenvolver métodos adequados de pesquisa neste âmbito.

Conteúdos programáticos

Conceito de valor estético. Origens do termo, várias designações de estética e a evolução;
As épocas históricas e os seus cânones visuais. Interação entre o cânone e o desenho de espaços, artefatos;
A Beleza e o sagrado na antiguidade clássica e idade média. Centralização do poder espiritual e a sua influência e domínio sobre o poder temporal.
Estética do Renascimento; Reforma e Contrarreforma; Valor estético no Maneirismo, Barroco, Rococó. O Homem medida de todas as coisas. Crise da influência da Igreja.
Estética do Neoclássico e Romantismo. Surgimento do Estado­Nação.
Valor estético na Revolução Industrial, modernismo, pós­modernismo e sociedade pós­industrial.
Contemporaneidade: análise crítica e comparativa de estudos de caso de objetos e obras tendo por referência os conceitos abordados.
Seleção, apresentação de objetos e obras de referência.
Métodos de pesquisa enquanto exercício pedagógico no sentido de operacionalizar conteúdos.

Metodologia de ensino

A metodologia de ensino assenta em estratégias através das quais o docente prepara uma discussão coletiva com base em debates em que os estudantes, individualmente ou em conjunto, participam em análises que perspetivam a troca de saberes.
Sobre os temas abordados em cada sessão letiva é apresentada uma síntese da aula e referida bibliografia de apoio. São apresentados e visualizados e discutidos documentos fotográficos e vídeos temáticos sobre objetos e obras de arte, assim como monografias e revistas da especialidade. Em cada sessão letiva o trabalho individual de pesquisa é acompanhado.

Método de Avaliação

O regime de avaliação é de natureza contínua. É constituída por dois momentos visando objetivos diferentes: desenvolvimento da UC através da realização de um trabalho de pesquisa sobre um dos temas programáticos à escolha do estudante e um teste escrito realizado após a abordagem do programa.
Classificação final: realização do trabalho de pesquisa 50%, realização do teste escrito 50%.

Bibliografia

Arnheim, R. (1980). Arte & percepção visual: uma psicologia da visão criadora. Austrália : Thomson. ­ Bayer, R. (1995). História da estética. Lisboa: Estampa.
­Carchia, G. & D’angelo, P. (dir.) (2009). Dicionário de estética. Lisboa: Edições 70
­Dorfles, G. (1978). Design industrial e a sua estética. Lisboa: Presença.
­Dorfles, G. (1989). As oscilações do gosto. Lisboa: Livros Horizonte.
­Focillon, H. (1988). A vida das formas: seguido de elogio da mão. Lisboa: Edições 70. ­ Huyghe, R. (1998). O poder da imagem. Lisboa: Edições 70.
­Townsend, D. (2002). Introdução à estética. Lisboa: Edições 70.