ato público | Tiago Sá

Defesa de Dissertação do Mestrado Integrado em Arquitetura e Urbanismo
22.junho.2020 | 16h00 | videoconferência . zoom
A Defesa de Dissertação de Tiago Nuno Morais de Sá, intitulada Da Adega para o Hotel, Arquitetura e Enoturismo, realiza-se na próxima segunda-feira, dia 22 de junho, pelas 16h00 por videoconferência.
Júri da Prova – Prof.ª Doutora Goreti Sousa, Prof.ª Doutora Sofia Aleixo, Prof. Especialista César Rouco, Prof. Doutor Javier Ortega.
Resumo:
O tema do Enoturismo possibilitou adequar a adega à contemporaneidade, com isso, a tangibilidade do objeto ganha uma nova relevância no momento de projetar. A arquitetura passa a ter um papel muito importante na divulgação do setor, o objeto industrial dá lugar ao objeto arquitetónico. O ambiente produtivo é redesenhado e novos lugares são criados para gerar novas formas de viver a adega, proporcionando experiências a este novo interveniente, o turista.
A especificidade do local mostra-se como um fator importante na produção vinícola. O Minho integra-se na Região Demarcada dos Vinhos Verdes e apresenta um produto vinícola único no mundo, impossível de reproduzir noutro local. Estas particularidades são relevantes para o sucesso turístico e reconhecimento mundial, por isso foi necessário conhecer este território, o contexto histórico e vinícola, entender o processo da vitivinicultura, conhecer as tradições e manifestações culturais associadas.
De forma a entender o impacto que o enoturismo tem na arquitetura das adegas, centrou-se a investigação na identificação e estudo de tipologias e conceitos de adegas contemporâneas associadas ao enoturismo, consideradas relevantes no desenvolvimento do tema da arquitetura. Com o intuito de estabelecer a relação entre estas temáticas, foi realizada uma investigação a diferentes tipologias de adegas contemporâneas nacionais e internacionais reconhecidas, quer pela relevância do seu autor, quer pelo reconhecimento publico da obra. Do coletivo temático foram selecionadas e estudadas 4 referências mundiais, e seguindo os critérios de seleção, 9 estudos de caso que foram caracterizados de forma mais detalhada.
O estudo foi fundamentado com base em análise documental e o método de investigação adotado foi o estudo multicasos, nos quais se nomearam três tipologias, a Adega, a Adega-Hotel e o Hotel Enoturístico. Para a escolha do local de intervenção foi realizada em primeiro lugar uma análise geral ao município, recorrendo à análise documental. Após a seleção foi produzido o trabalho de campo, de forma a criar os elementos base necessários para a realização projeto. Realizou-se o levantamento do terreno e edificado existente, tendo sido produzidas fotografias, notas de campo e desenhos de levantamento. Após a investigação da informação qualitativa, determinam-se as debilidades e pontos fortes, de forma a criar as oportunidades, fixar os objetivos e estratégias a aplicar na proposta de projeto.
A investigação determinou as estratégias projetuais, funcionais, programáticas e volumétricas das adegas contemporâneas. Foi possível comprovar que quase todas elas se enquadram em ambiente rural, onde a relação com a envolvente é importante e a vinha está quase sempre presente. Nota-se uma tendência na utilização de certos sistemas construtivos e tipos de implantações enterradas ou semienterradas, pelo menos nos programas da Adega, focados no funcionamento produtivo. Pode comprovar-se em muitos casos o uso de materiais locais, nos casos dos edifícios mais conceituais os materiais têm uma relação forte com a envolvente.
Em complementação à componente teórica e focada nos aspetos menos explorados do enoturismo, é realizada uma proposta de intervenção arquitetónica, que pretende relacionar a especificidade local, histórica e vinícola, a uma solução contemporânea. Com base nas obras referência, nos estudos de caso e nas diretrizes estabelecidas, foi desenvolvido um projeto de arquitetura de uma Adega-Hotel, enquadrado em ambiente rural e histórico, na propriedade da Quinta da Torre das Donas, freguesia de Vitorino das Donas, Ponte de Lima.
Tiago Sá –
Orientadores. Prof.ª Doutora Ana Lima e Prof. Especialista César Rouco.
* Não é permitido filmar ou gravar a sessão, nem a utilização do sistema de chat. A assistência das provas públicas deve manter o microfone e o vídeo desligados durante toda a sessão, com a exceção do Candidato e dos membros do júri.