ÁREA CIENTÍFICA BLA
PERIODICIDADE Semestral
SEMESTRES 5º semestre
HORAS TOTAIS 224
HORAS DE CONTACTO 90
TIPOLOGIA Teórico-Prática
ECTS 8


Resumo

Desenvolvimento de práticas oficinais da produção da obra de arte no seu aspeto físico bidimensional e tridimensional.
Oficina multidisciplinar de produção abrangente em termos de tecnologias físicas de execução de obras.

Objetivos da aprendizagem

Desenvolver práticas oficinais no âmbito da produção de objetos artísticos (bidimensionalidade e tridimensionalidade);
Conhecer ferramentas e meios para a expressão plástica (bidimensionalidade e tridimensionalidade);
Expressar as ideias, através de técnicas e linguagens diversas e de acordo com as suas preferências;
Construir uma base de conhecimentos técnicos e teóricos, através de novas experiências, novos e inovadores elementos no âmbito das práticas (bidimensionais e tridimensionais);
Conhecer ferramentas e meios para uma utilização, reflexão (construtiva, crítica e autocrítica) e fundamentação consistente e objetiva, na escolha das metodologias práticas para o desenvolvimento e apresentação de um projeto individual.

Conteúdos programáticos

O desenho (à mão levantada) e a exploração de técnicas diversas;
A pintura: o acrílico, o óleo, a colagem;
A escultura: pequenos volumes construídos com materiais diversos p. ex., metais e plásticos, madeiras ou outros, evidenciando partes, estrutura e união e considerando o uso de processos subtrativos;
Cerâmica: técnicas e potenciais modos de uso no projeto;
Apropriação, renovação/reutilização de técnicas e obras clássicas.
Inovação, novos materiais, técnicas e processos contemporâneos.

Metodologia de ensino

Aulas teórico­práticas/contexto oficinal com recurso a conteúdos audiovisuais, bibliografia, contato com artistas plásticos e visitas de estudo. Exercícios práticos que correspondam à tendência artística mais adequada a cada um dos estudantes, (com o acompanhamento direto do docente). O estudante através desta metodologia deve ser capaz de:
Desenvolver reflexão (construtiva, crítica, autocrítica);
­Dominar teoricamente e no âmbito técnico, os meios e a inovação criativa;
­ Fundamentar consistente e objetivamente, a escolha das metodologias práticas para o desenvolvimento do projeto individual.

Método de Avaliação

Avaliação contínua: individual, tendo por base a qualidade, empenho e criatividade das soluções apresentadas pelo estudante – complementada por uma autoavaliação de cada estudante, bem como uma apresentação crítica coletiva aos trabalhos realizados durante e após as fases de desenvolvimento.
Projeto individual: 90%
Participação e desempenho: 10%.

Bibliografia

Almeida, B. (2006). Henrique Silva ou a sereníssima inactualidade. Porto: Galeria Alvarez.
­Maderuello, J. (1994). La perdida del pedestal, Madrid: Ed. Circulo de Bellas Artes.
­Midgley, B. (1982). Guia Completo de Escultura, Modelado y Cerâmica: Técnicas e Materiales. Madrid: H. Blume Ediciones.
­Nogueira 1 Marshall, S. (1982). Como pintar & desenhar pessoas. São Paulo: Círculo do livro.
­Parramón, J. (1983). ­ Cómo dibujar la figura humana (14a ed.). Barcelona: Parramón ediciones, 1983.
­Schodek, D. (1993). Struture in sculpture, Massachussetts: Ed. MIT.
­Silva, H. Astin, D. (1982). Como pintar & desenhar animais. São Paulo: Círculo do livro.