Código
A32

Unidade Curricular
História da Arquitetura Peninsular

Área Científica
HUM

Periodicidade
Semestral

Semestre
6º semestre

Horas Totais
56

Horas de Contato
40

Tipologia
Teórica

ECTS
2


Resumo
Desenvolvimento de problemáticas relativas à história da arquitetura em contexto geográfico ibérico, incidindo nos séculos XIX, XX e XXI, a partir do reconhecimento de fundamentos conformadores das principais estruturas do pensamento arquitetónico em Portugal e Espanha. Consolidação de uma perspetiva panorâmica sobre os diferentes enquadramentos culturais, sociais e políticos, para além da especificidade das respetivas obras e autores de referência, cruzando abordagens e modelos.

Objetivos de Aprendizagem
Implementar métodos operativos de análise, interpretação e síntese. Desenvolver a capacidade de reflexão crítica, fundamentada e responsável. Consolidar um corpo de referências culturais e teóricas, a considerar na atividade projetual. Compreender a repercussão das principais correntes arquitetónicas e as suas aplicações e especificidades no contexto Ibérico, em especial dos séculos XIX, XX e XXI. Conhecer as relações culturais, os autores, os modelos e as obras de referência da arquitetura peninsular.

Conteúdos Programáticos
As origens comuns: Arquitetura peninsular pré e proto-histórica. Arquitetura clássica na Península Ibérica. Arquitetura medieval. Arquitetura renascentista e barroca. Arquitetura peninsular no século XIX: historicismo e ecletismo na Península Ibérica Romantismo e arquitetura. Segundo revivalismo. Arquitetura do ferro e do vidro. Arquitetura peninsular no século XX: modernismo catalão; Arte Nova em Portugal; arquitetura sob os regimes fascistas; o Movimento Moderno na Península Ibérica. Estudo e análise de casos específicos e da sua repercussão nos denominados regionalismos críticos. Tendência e obra de autor.

Metodologia de Ensino
A aprendizagem consubstancia-se no debate de noções, de períodos históricos, de contextos e de estruturas espaciais e arquitetónicas, em que os estudantes analisam – individualmente ou em grupo – imagens, modelos, referências e documentos bibliográficos disponibilizados pelo docente. A metodologia de ensino assenta em sessões teóricas de explanação de obras e autores, em que são apresentadas as principais linhas orientadoras que enquadram a prática arquitetónica na Península Ibérica. A comunicação acontece recorrendo a meios audiovisuais que potenciam a reflexão fundamentada por parte dos estudantes, desenvolvendo processos de interpretação da informação e o inerente contributo para a capacidade discursiva dos estudantes. Os métodos concorrem para o ensino sistemático e crítico.

Método de Avaliação
O docente afere, aula a aula, o envolvimento e compromisso do estudante com a UC, verificando a progressão da aprendizagem e os níveis de aquisição de conhecimentos que os estudantes revelam na explanação, individual ou em conjunto, de problemáticas em discussão. A avaliação consubstancia-se na realização de dois testes escritos para aferição de conhecimentos. Cada momento de avaliação é acompanhado por um enunciado que enquadra as questões a dar resposta pelos estudantes.

Bibliografia
BOTTINEAU, Yves (1969). Baroque ibérique : Espagne, Portugal, Amérique Latine. Fribourg : Office du livre. Cota BDC: 72.03 / B 77 b (BDC/ESG) – 000517.
DOMENECH GIRBAU, Luis; BOHIGAS, Oriol; GREGOTTI, Vittorio; CIRICI-PELLICER, Alexandre (1968). Arquitectura española contemporânea. Barcelona : Blume. Cota BDC: 72 (460) / D 712 a (BDC/ESG) – 000948.
FERREIRA, Carlos Antero (1987). O palácio de exposições: Tapada da Ajuda. Lisboa : PassadoPresente. Cota BDC: 725.91 (469.411) / F 439 t (BDC/ESG) – 003764.
PEREIRA, José Fernandes; PEREIRA, Paulo (1989). Dicionário da arte barroca em Portugal. Lisboa : Presença. Cota BDC: 7.034 (469) / D 542 (BDC/ESG) – 001675.
SANTOS, José Coelho dos (1989). O Palácio de Cristal e a arquitetura do ferro no Porto em meados do séc. XIX. Porto : Fundação Eng. António de Almeida. Cota BDC: 725.91 (469.121) / S 233 p (BDC/ESG) – 000506.