Código
A31

Unidade Curricular
Projecto Integrado

Área Científica
DPA

Periodicidade
Semestral

Semestre
6º semestre

Horas Totais
420

Horas de Contato
240

Tipologia
Teórico-Prática

ECTS
15


Resumo
Desenvolvimento do projeto para a organização local dos tecidos a partir do quarteirão enquanto elemento conformador do espaço e da arquitetura que constrói a cidade, integrando modos de vida em contexto de bairro, lógicas de vizinhança, escalas de proximidade, a habitação coletiva e os equipamentos de apoio, entre o público, o semipúblico, o semiprivado e o privado. Aprofundamento de problemáticas sobre os usos dos espaços e respetivas tipologias estruturantes para a dinâmica do quarteirão e sua vida / apropriação quotidiana por parte dos residentes no âmbito da organização doméstica. Desenho urbano de unidades morfológicas homogéneas correspondente correlação com a forma urbana.

Objetivos de Aprendizagem
Diagnosticar, caracterizar e interpretar dinâmicas de quarteirões, lógicas de vizinhança, infraestruturas de suporte, acessibilidades e conectividades, tipologias estruturantes, processos de agregação residencial, modos de usar e marcar os espaços entre o público, o semipúblico, o semiprivado e o privado – como os logradouros, por ex. Analisar espacial e comparativamente bairros e respetivas áreas homogéneas, verificando a relação entre os arruamentos e as edificações, isolando constituintes morfológicos elementares, contiguidades volumétricas e alinhamentos entre cérceas. Sintetizar sistematicamente soluções espaciais e contextuais capazes de contribuir para a diversidade concetual e formal ao nível do desenho da cidade, considerando os níveis de integração do quarteirão no espaço urbano, mas também a sua autonomia relativa a outros elementos da morfologia urbana. Desenvolver propostas de projeto integrado envolvendo o desenho do quarteirão com diferentes vivências e qualidades espaciais entre a escala da cidade e a do edifício entendido não enquanto elemento isolado, mas como constituinte da forma do quarteirão.

Conteúdos Programáticos
Constituintes estruturantes para a consubstanciação de unidades morfológicas homogéneas. Leituras comparadas de traçados de planos para quarteirões e suas formas, parcelas, estruturação e edificação. Gramáticas para grupos tipológicos de quarteirões e respetivo enquadramento no tecido edificado envolvente. Infraestruturas de bairro, equipamentos de proximidade e respetivos usos articulados com a atividade residencial. O quarteirão regular, entre configurações retangulares fechadas, entre formas geométricas lineares em L, em U, entre outras. O quarteirão de matriz “modernista”, com os blocos habitacionais perpendiculares às vias em detrimento da “rua corredor”. O quarteirão eclético combinando léxicos e dispositivos tipo-morfológicos distintos e malhas viárias e pedonais locais combinadas. Soluções urbanísticas heterogéneas para quarteirões que concorram para uma intencionalidade de desenho urbano convergente.

Metodologia de Ensino
Os conteúdos são transmitidos em trabalho prático, aulas teóricas, visitas de estudo exploratórias, trabalho de campo estruturado, seminários, organização programática do projeto, com particular atenção à capacidade de comunicação visual, escrita e oral da solução urbanística proposta. As estratégias de ensino-aprendizagem assentam em lógicas de envolvimento e comprometimento contínuo dos estudantes para com a unidade curricular e respondem à especificidade dos exercícios indicados, com sessões multimédia de debate para reflexão individual e/ou em grupo. A metodologia concorre para o conhecimento sistemático e reflexivo sobre quarteirões e bairros, explorando as diversas abordagens às respetivas formas urbanas e ensaiando deferentes tipos de análises morfológicas, aplicando metodologias indutivas e comparativas entre caso de estudo indicados, considerando-os nos seus indicadores quantitativos e nas respetivos aspetos qualitativos. A avaliação é contínua, ponderando os seguintes elementos: participação ativa e continuada na UC; realização, entrega e apresentação dos três momentos de avaliação previstos.

Método de Avaliação
O exercício de projeto é avaliado em três fases previamente enquadradas, às quais correspondem outras tantas etapas de desenvolvimento das propostas projetuais concretizadas pelos estudantes. O método de avaliação é contínuo, em que o docente afere, aula a aula, o envolvimento e compromisso dos estudantes para com a UC, verificando a progressão da aprendizagem, podendo registar – sessão a sessão – os níveis de aquisição de conhecimentos que os estudantes vão revelando no aprofundamento dos respetivos projetos. Os três momentos de avaliação referidos contemplam a entrega e apresentação individual dos elementos, escalas e informação produzidos pelos estudantes para o efeito, em conformidade com o indicado em enunciado disponibilizado com antecedência. Cada fase de avaliação é acompanhada por uma tabela de classificações que reflete a resposta dada pelos estudantes às problemáticas e ao âmbito da etapa do exercício em causa.

Bibliografia
CADINU, M., et al. (eds.) (2008). La città europea del trecento. Cagliari: Kappa. Cota BDC:
COELHO, C. (coord.), et al. (2013). Os elementos urbanos. Cadernos de Morfologia Urbana. Lisboa: Argumentum. Cota BDC:
GRAHAM, S., et al. (2001). Splintering urbanism. Networked infrastructures, technological mobilities and the urban condition. Londres: Routledge.
OLIVEIRA, V. (2013). A evolução das formas urbanas de Lisboa e do Porto nos séculos XIX e XX. Porto: Universidade do Porto. Cota BDC:
PANERAI, P., et al. (2004). A evolução das formas urbanas de Lisboa e do Porto nos séculos XIX e XX. Oxford: Architectural Press.