Código
A25

Unidade Curricular
Projecto – Equipamento e Espaço Público

Área Científica
DPA

Periodicidade
Semestral

Semestre
5º semestre

Horas Totais
364

Horas de Contato
160

Tipologia
Teórico-Prática

ECTS
13


Resumo
Desenvolvimento de problemáticas programáticas próprias de unidades espaciais de carácter e utilização pública, tendo como base a utilização coletiva de edifícios e espaços de dimensão média e respetiva relação intrínseca com o espaço público envolvente. Consolidação de processos de projeto para a necessária articulação entre edifício e tecido edificado (consolidado e/ou emergente), através da continuidade do desenho e da consolidação do espaço público existente.

Objetivos de Aprendizagem
Conceber o elemento arquitetónico articulando-o como parte de um contexto urbano social e cultural, entendendo o desenho de espaço público como procura de conformação das partes e do todo. Analisar e propor alternativas para a consolidação da morfologia urbana, tendo em consideração a especificidade do programa e do carácter da envolvente. Interpretar um programa funcional, de significativa complexidade, de usufruto público, respeitando as suas condicionantes e compreendendo os seus fundamentos legais básicos. Desenvolver um processo de projeto ao nível da caracterização funcional e sua diferenciação espacial, da estruturação de núcleos e circuitos de utilização. Aprofundar a compreensão das variações da escala de trabalho enquanto instrumento de controlo e capacidade de interpretar os problemas do projeto em curso e sua representação. Introdução à morfologia do espaço público organicamente integrado e integrando o conjunto edificado. Abordagem e experimentação de processos de colaboração, tomadas de decisão coletivas e individuais.

Conteúdos Programáticos
O programa de equipamento público: definição de um público-alvo; a posse coletiva e o usufruto público; a figura do utente e do funcionário; a especificação e caracterização funcional; o enquadramento legal; a estruturação e a autonomia utilitária; a responsabilidade social do equipamento público. Introdução à morfologia urbana: estrutura e tipologia urbana; morfologia de espaço público convencional; o modelo tipológico da rua; o modelo tipológico da praça; o paradigma moderno: o edifício isolado; a ambiguidade contemporânea: a interrogação do modelo. A consolidação urbana: a articulação do conjunto urbano; a integração na rede de acessos e circuitos urbanos; os espaços ajardinados: corredor, barreira e nucleares; o espaço público como extensão do tecido urbano e complemento dos edifícios dominantes; o respeito pela topografia dissimulada. O desenho do espaço público: evolução e correntes; configuração; articulação com edifícios envolventes; pavimentação; arborização e sombreamento; mobiliário, iluminação e sinalética.

Metodologia de Ensino
A aprendizagem assenta em metodologias do formato de atelier (laboratório de arquitetura), através da experimentação em projeto e respetivo apoio teórico, com recurso a apresentações de problemáticas articuladas com o acompanhamento individual dos estudantes por parte do docente. Com apoio de instrumentos, ferramentas, técnicas e tecnologias, a metodologia de ensino desdobra-se em procedimentos operativos de abordagens racionais e fenomenológicas, combinando âmbitos do pensamento fundamentado com domínios sensitivos e da perceção. Os conhecimentos são transmitidos em trabalho prático, aulas de exposição de conteúdos, eventuais visitas de estudo exploratórias, possível trabalho de campo estruturado, seminários, organização programática do projeto, com particular atenção à capacidade de comunicação visual, escrita e oral das propostas desenvolvidas. A metodologia concorre para o ensino sistemático e crítico.

Método de Avaliação
O exercício de projeto é avaliado em três momentos definidos, aos quais correspondem outras tantas fases de desenvolvimento das propostas concretizadas pelos estudantes. O método de avaliação é contínuo, em que o docente afere, aula a aula, o envolvimento e compromisso do estudante para com a UC, verificando a progressão da aprendizagem – podendo registar, sessão a sessão, os níveis de aquisição de conhecimentos que os estudantes vão revelando no aprofundamento dos seus projetos. Os momentos de avaliação contemplam a entrega e apresentação individual dos elementos, escalas e informação produzidas para o efeito. Cada momento de avaliação é acompanhado por enunciado que enquadra as problemáticas a dar resposta para a respetiva etapa do exercício.

Bibliografia
BAKER, G. (1991). Análisis de la forma: urbanismo y arquitectura. México : Gustavo Gili. Cota BDC: 72.012 / B 142 a
BRANDÃO, P. & Remesar, A. (ed. lits.) (2000). O espaço público e a interdisciplinaridade. Lisboa: CPD. Cota BDC: 711.4 / E 73
CHING, F. (1979). Architecture: form, space & order. New York: Van nostrand reinhold. Cota BDC: 72.012 / C 466 a
CULLEN, G. (1971). Paisagem urbana. Lisboa: Edições 70. Cota BDC: 712 / C 974 p
UNWIN, S. (2003). Análisis de la arquitectura. Barcelona: Gustavo Gili. Cota BDC: 744 / U 55 a