Código
A19

Unidade Curricular
Projecto – Habitar Comunidade

Área Científica
DPA

Periodicidade
Semestral

Semestre
4º semestre

Horas Totais
364

Horas de Contato
160

Tipologia
Teórico-Prática

ECTS
13


Resumo
Desenvolvimento de conjuntos de unidades espaciais baseadas no compromisso social coletivo, com enfâse na sua relação interna e externa, onde se desenvolve a ideia de módulo, sistemas de agregação, princípios de adição e o conceito de comunidade. Investigação de modelos existentes e experimentação de novos modelos no âmbito do projeto de arquitetura. Definição de princípios e compromissos de relação entre o espaço privado e a envolvente pública.

Objetivos de Aprendizagem
Espaços domésticos e interação da habitação com o espaço envolvente na estruturação de unidades urbanas de média escala e ocupação residencial. Reconhecer e caracterizar modelos de comunidades através da reflexão crítica do espaço doméstico individual e da valorização da sua articulação em conjunto. Entender a diversidade programática e a influência cultural nas necessidades tipológicas. Compreender a diversidade morfológica da habitação e indagar acerca das dimensões de referência do habitat. Compreender o espaço comunitário e seus constituintes elementares. Desenvolvimento de espaços de transição e interação do espaço privado com o público. Efetuar abordagens à escala urbana, através de exercícios de dimensão e complexidade progressiva no território. Consolidar a experimentação tridimensional, como metodologia para soluções de arquitetura e do desenho urbano. Promover a investigação e experimentação arquitetónica sobre o significado de comunidade, a caracterização morfológica do espaço doméstico e o valor semântico do termo habitação.

Conteúdos Programáticos
A evolução do sentido de habitar: do abrigo à habitação contemporânea; elementos constituintes do espaço doméstico. A habitação na sua dimensão antropológica: cultural, doméstica e poética. A evolução da regulamentação relativa ao espaço doméstico. O módulo e o sistema de agregação: levantamento e síntese crítica de exemplos de comunidades de carácter residencial. A distinção entre público e privado: instrumentos de delimitação e transição; propriedade e estrutura cadastral; relações de articulação de vizinhança entre núcleos. Tipo-morfologias urbanas: relação evolutiva entre infraestrutura e edifício. Transição entre público e privado: traçado e matriz urbana; relações de articulação de vizinhança entre conjuntos urbanos. O tecido urbano: processos de contextualização e consolidação do tecido urbano. Especificações socioculturais: processos de adaptação e integração na comunidade local; a apropriação e a rejeição cultural.

Metodologia de Ensino
A aprendizagem no formato de atelier (laboratório de arquitetura), através da experimentação em projeto e respetivo apoio teórico, com recurso a apresentações de problemáticas estruturadas e articuladas com o acompanhamento individual dos estudantes por parte do docente. Com apoio de instrumentos, ferramentas, técnicas e tecnologias, a metodologia de ensino desdobra-se em procedimentos e abordagens racionais e fenomenológicas, combinando âmbitos do pensamento fundamentado com domínios sensitivos e da perceção. Os conhecimentos são transmitidos em trabalho prático, aulas de exposição de conteúdos, seminários, visitas de estudo exploratórias, possível trabalho de campo estruturado, seminários, organização programática do projeto, com particular atenção à capacidade de comunicação visual, escrita e oral das propostas. A metodologia concorre, em termos gerais, para o ensino sistemático e crítico.

Método de Avaliação
O exercício é avaliado em três momentos definidos, aos quais correspondem outras tantas fases de desenvolvimento das propostas de projeto. O método de avaliação é contínuo, em que o docente afere, aula a aula, o envolvimento e compromisso do estudante com a UC, verificando a progressão da aprendizagem – podendo registar, sessão a sessão, os níveis de aquisição de conhecimentos que os estudantes vão revelando no aprofundamento dos projetos. Os momentos de avaliação contemplam a entrega e apresentação individual dos elementos, escalas e informação produzidas pelos estudantes para o efeito. Cada momento de avaliação é acompanhado por enunciado que enquadra as problemáticas a dar resposta para a respetiva etapa do exercício.

Bibliografia
FRENCH, Hilary (2009). Vivienda colectiva paradigmática del siglo XX: plantas, secciones y alzados. Barcelona : GG. Cota BDC: 728.2 / F 94 v.
HOFFMANN, H. (1967). Conjuntos residenciales de baja densidad: viviendas-terraza, viviendas-patio, viviendas-atrio. Barcelona : Blume. Cota BDC: 728 / H 648 c.
KIRSCHENMANN, Jörg C. ; MUSCHALEK, Christian (1980). Diseño de barrios residenciales : remodelación y crecimiento de la ciudad. Barcelona : GG. Cota BDC: 711.4 / K 65 d.
NORBERG-SCHULZ, C. (1981). Genius loci : paysage, ambiance, architecture. [S. l.] : Pierre Mardaga. Cota BDC: 72.01 / N 751 g.
ZUMTHOR, P. (2009). Pensar a arquitetura. Barcelona: Gustavo Gili. Cota BDC: 72.01 / Z 88 p.