Código
A18

Unidade Curricular
Estática

Área Científica
TEC

Periodicidade
Semestral

Semestre
3º semestre

Horas Totais
84

Horas de Contato
60

Tipologia
Teórica

ECTS
3


Resumo
Desenvolvimento de noções determinantes para o correto equilíbrio estrutural entre as diversas partes da edificação, verificando princípios fundamentais para a estática, analisando características geométricas de secções estruturais, calculando esforços em sistemas isostáticos lineares planos e decompondo tensões e extensões. Consolidação de abordagens e estudo da flexão em estruturas isostáticas e cálculo de esforços em estruturas isostáticas reticuladas planas.

Objetivos de Aprendizagem
Domínio do equilíbrio de corpos e estruturas de edifícios, comportamento dos materiais utilizados e ações a que estão sujeitos, criando sensibilidade e perceção técnica sobre o comportamento de estruturas e seu inter-relacionamento com o projeto de arquitetura. Domínio do equilíbrio de corpos e geometria de massas. Transmitir ao estudante a importância dos conceitos da estática e funcionamento dos vários elementos estruturais de um edifício. Dependência dos princípios fundamentais da estática no projeto de arquitetura. Incentivar a interdependência e uso dos conceitos apreendidos nas UC’s do ciclo de estudos. Sensibilizar o estudante para a questão da qualidade e para a forte relação entre a arquitetura e a engenharia.

Conteúdos Programáticos
Princípios fundamentais da estática: estudo das forças; cálculo das resultantes; definição de apoios e ligações; graus de liberdade de uma estrutura; equilíbrio estável e instável; estruturas isostáticas, hipostáticas e hiperestéticas. Cálculo de reações nos apoios: vigas e pórticos isostáticos; cargas concentradas e distribuídas. Cálculo de esforços em estruturas isostáticas lineares planas: esforço axial; esforço transverso; momentos fletores. Características geométricas das secções estruturais: centro geométrico e centro de gravidade; momento estático e momento de inércia; produto de inércia; transposição de eixos de inércia; raio de giração; módulo de flexão. Tensões e extensões: tensões normais, tangenciais; relação tensão extensão; tensões instaladas e tensões resistentes. Estudo de flexão em estruturas isostáticas: flexão simples composta e desviada; pré-dimensionamento de estruturas. Cálculo de esforços em estruturas isostáticas reticuladas planas: Métodos gráficos e analíticos.

Metodologia de Ensino
A UC desenvolve-se em âmbito teórico-prático, tendo duas componentes distintas: uma sustentada na aprendizagem decorrente dos conhecimentos a partir da informação fornecida nas aulas teóricas; outra sustentada na aprendizagem decorrente da realização de exercícios práticos. São propostos trabalhos práticos para resolução dos alunos em período não presencial.

Método de Avaliação
O docente afere, aula a aula, o envolvimento e compromisso do estudante com a UC, verificando a progressão da aprendizagem e os níveis de aquisição de conhecimentos que os estudantes revelam na resolução de exercícios práticos. A prossecução da avaliação implica o desenvolvimento em aula e entrega de um trabalho de aplicação direta de conhecimentos adquiridos (mini-teste) – avaliação intermédia – para além da realização de um teste escrito individual no final do período letivo. Cada momento de avaliação é acompanhado por um enunciado que enquadra as questões e o âmbito das problemáticas a dar resposta.

Bibliografia
LUNA, M. (1998). Bóvedas extremeñas, proceso construtivo y análisis estructural de bóvedas de arista. Badajoz: Aprosuba 3. Cota BDC: 692.4 / F 843 b.
MASSONET, C. (1968). Résistance des matériaux. Paris: Dunod, 1968.
PETRUCCI, E. (1987). Materiais de construção (8ª ed.). Rio de Janeiro: Globo. Cota BDC: 691 / P 595 m.
REID, D. (1980). Principios de construcción. Barcelona: Gustavo Gili. Cota BDC: 69 / R 284 p.
REID, E. (1989). Como funcionam os edifícios. Mem Martins: CETOP. Cota BDC: 696 / R 284 c.