Código
A07

Unidade Curricular
Projecto – Conceito

Área Científica
DPA

Periodicidade
Semestral

Semestre
2º semestre

Horas Totais
364

Horas de Contato
60

Tipologia
Teórico-Prática

ECTS
13


Resumo
Desenvolvimento de unidades espaciais de pequena dimensão com programa elementar, valorizando a experimentação conceptual como metodologia de aproximação ao projeto final, recorrendo a modelos tridimensionais como ferramenta de concretização e de teste dessa experimentação. Consolidação do processo e estruturação projetual, alicerçada no compromisso entre conceito, forma e espaço.

Objetivos de Aprendizagem
Domínio de raciocínios sobre a conceção e composição arquitetónica para a justificação (autocrítica e crítica) e fundamentação da génese e desenvolvimento de formalizações propostas. Compreender fenómenos cognitivos entre o processo mental e material. Selecionar, identificar e desenvolver um conceito arquitetónico com potencialidade espacial. Estabelecer o compromisso entre conceito, forma e contexto. Produzir conteúdos gráficos e escritos complementares, de acordo com cada fase de trabalho, articuladas com a totalidade do processo de projeto, que no final deve ser materializado de modo coerente e objetivo.

Conteúdos Programáticos
Estruturação metodológica: processo de conceção e projeto de arquitetura; valorização conceptual da proposta arquitetónica; processo de conceção e componente teórico/crítica. A génese conceptual: definição de conceito e aplicações. Os modelos conceptuais arquitetónicos: caracterização e síntese evolutiva; do modelo clássico à abstração positivista; o Moderno e o programa funcional; vanguardas e manifestos de rutura; os revisionismos conceptuais; paradigma contemporâneo. A articulação conceptual-formal: da estratégia à matéria; o signo e o significado; o tema e a sua definição no universo espacial; fundamentação e registo; os processos básicos de desenho e modelação. Caracterização formal: a configuração geométrica, interpretação e a conotação sensorial e simbólica do espaço. Operações básicas: conceito de volumetria, escala, enquadramento, compartimentação, circulação, acessos e obliteração. A composição: processos, métodos e modelos. Definição e desenvolvimento da proposta: a representação e a retroatividade conceptual; processos de retificação e correção; a crítica e a avaliação. Comunicação do conceito-projeto: o discurso e a retórica argumentativa; síntese e hierarquização conceptual.

Metodologia de Ensino
A aprendizagem assenta em metodologias do formato de atelier (laboratório de arquitetura), através da experimentação em projeto e respetivo apoio teórico, com recurso a apresentações de problemáticas estruturadas e articuladas com o acompanhamento individual dos estudantes por parte do docente. A partir de métodos quantitativos e qualitativos, com apoio de instrumentos, ferramentas, técnicas e tecnologias, a metodologia de ensino desdobra-se em procedimentos operativos de abordagens racionais e fenomenológicas, combinando âmbitos do pensamento fundamentado com domínios sensitivos e da perceção. Os conhecimentos são transmitidos em trabalho prático, aulas de exposição de conteúdos, eventuais visitas de estudo exploratórias, possível trabalho de campo estruturado, seminários, organização programática do projeto, com particular atenção à capacidade de comunicação visual, escrita e oral das propostas desenvolvidas. As estratégias de ensino-aprendizagem respondem à especificidade dos exercícios indicados, com sessões multimédia de debate para reflexão individual e/ou em grupo, A metodologia concorre, em termos gerais, para o ensino sistemático e crítico.

Método de Avaliação
O exercício de projeto é avaliado em três momentos definidos, aos quais correspondem outras tantas fases de desenvolvimento das propostas concretizadas pelos estudantes. O método de avaliação é contínuo, em que o docente afere, aula a aula, o envolvimento e compromisso do estudante para com a UC, verificando a progressão da aprendizagem – podendo registar, sessão a sessão, os níveis de aquisição de conhecimentos que os estudantes vão revelando no aprofundamento dos seus projetos. Os momentos de avaliação contemplam a entrega e apresentação individual dos elementos, escalas e informação produzidas para o efeito. Cada momento de avaliação é acompanhado por enunciado que enquadra as problemáticas a dar resposta para a respetiva etapa do exercício.

Bibliografia
CUNHA, Luís Veiga (2008). Desenho técnico. Portugal, Lisboa : Fund. Calouste Gulbenkian. ISBN 978-972-31-1066-1. Cota BDC: 744 / C 977 d.
FONATTI, Franco (1988) Principios elementales de la forma en arquitectura. Espanha, Barcelona : Gustavo Gili. ISBN 84-252-1349-5. Cota BDC: 72.012 / F 737 p.
MUNARI, Bruno [1993?]. Das coisas nascem coisas. Portugal, Lisboa : Edições 70. ISBN 972-44-0160-X. Cota BDC: 74 / M 928 c.
NORBERG-SCHULZ, Christian (1981). Genius loci : paysage, ambiance, architecture. [S. l.] : Pierre Mardaga. ISBN 2-87009- 651-8. Cota BDC: 72.01 / N 751 g.
UNWIN, Simon (2003). Análisis de la Arquitectura. Espanha, Barcelona : Gustavo Gil. ISBN 9788425218880. Cota BDC: 744 / U 55 a.