Os estudantes do Ensino Superior podem recorrer a outros apoios para além dos concedidos no âmbito da Ação Social- DGES/ Direção-Geral do Ensino Superior do Ministério da Educação e Ciência, Governo de Portugal, tais como ajudas financeiras, Bolsas de Estudo ou outro tipo de incentivos disponibilizados tanto por entidades públicas como privadas.
Atualmente existem várias bolsas de estudo, às quais os estudantes da ESG podem concorrer.

Bolsas de Estudo

DGES/ Direção Geral do Ensino Superior
FOC/ Fundação Convento da Orada
Câmaras Municipais
Ayuntamientos
Plataforma Europeia de Pesquisa de Bolsas de Estudo
Outras Entidades

Outras informações

Voluntariado
Alojamento
Transportes

DGES/ Direção Geral do Ensino Superior

Bolsas de estudo cofinanciadas pelo Fundo Social Europeu (FSE) e pelo Estado Português no âmbito do Programa Operacional CAPITAL HUMANO (POCH).

A bolsa de estudo é, por definição, uma prestação pecuniária, de valor variável, para comparticipação nos encargos com a frequência de um curso de Ensino Superior, são atribuídas por ano letivo, aos estudantes economicamente carenciados ou portadores de deficiência e com aproveitamento escolar, fixando-se o seu montante de acordo com os critérios estabelecidos em regulamento próprio.

Prazos

Os prazos para apresentação de candidatura à Bolsa de Estudo da DGES/MEC são, oportunamente, afixados em edital pelo GAA.

Legislação

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior
Despacho n.º 7031-B/2015, de 24 de junho de 2015

Para mais informações consultar DGES: http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Estudantes/

Procedimentos de Candidatura

Candidatura pela 1ª vez

Os estudantes matriculados no Ensino Superior por 1.ª vez devem dirigir-se ao GAA, efetuarem o seu Pré-Registo de Candidatura a Bolsa de Estudo para obterem as credenciais de acesso à Plataforma de Candidaturas online BeOn.

Para o efeito devem munir-se dos seguintes documentos:

  • Documento de Identificação Pessoal;
  • Número de Contribuinte;
  • Número de Segurança Social.

Estudantes de Nacionalidade não Portuguesa

Também podem apresentar candidatura à referida bolsa, desde que reúnam as condições constantes no respetivo regulamento. Necessitam assim, nomeadamente, de adquirir o Número de Identificação Fiscal Português (NIF) numa dependência de serviços de Finanças português;
Para esclarecimento de dúvidas devem dirigir-se á responsável do GAA.

Recandidatura

Na recandidatura, os estudantes deverão validar as suas credenciais de acesso e, posteriormente, submeter a candidatura na página pessoal.

Os estudantes inscritos no Ensino Superior, e que já tenham as credenciais de acesso, podem efetuar a sua recandidatura através do site:

http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Estudantes/Bolsas/EnsinoSuperiorPrivado/CandidaturasOnline/

Na página pessoal devem preencher e/ou rever os dados do formulário da candidatura e enviar os documentos indicados no final da operação, através da área de documentos da mesma página.

Bolsas de estudo por Mérito DGES /MEC

Bolsas cofinanciadas pelo FSE e pelo Estado Português no âmbito do POCH, atribuídas aos estudantes com aproveitamento escolar excecional, independentemente dos seus rendimentos, e de acordo com o regulamento geral de Bolsas por Mérito a Estudantes de Instituições de Ensino Superior.

Legislação: Despacho n.º 13531/2009

Simulador de Bolsas de estudo da DGES/MEC

http://www.dges.mec.pt/simulador/

FAQs DGES/MEC

http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Estudantes/Bolsas/FAQ/

FCO/ Fundação Convento da Orada

A FCO/ Fundação Convento da Orada no âmbito da sua estratégia de responsabilidade social disponibiliza regularmente duas tipologias de bolsas: a Bolsa de Estudo FCO e a Bolsa por Mérito FCO.
Para mais informações, consultar responsável pelo GAA.

Bolsa de Estudo da FCO

Bolsa FCO/ Fundação Convento da Orada dirige-se a estudantes economicamente carenciados. Os interessados devem apresentar candidatura mediante preenchimento de boletim disponibilizado pelos serviços do GAA/ Gabinete de Apoio ao Aluno e anexando a documentação solicitada.

Após a aprovação pelo Conselho de Administração da FCO/ Fundação Convento da Orada, são atribuídas bolsas de estudo que isentam os estudantes do pagamento total ou parcial de propina mensal.
Regulamento de atribuição de Bolsas de Estudo da FCO/ Fundação Convento da Orada

Bolsa por Mérito da FCO

A Bolsa de Estudo por Mérito da FCO é atribuída anualmente aos estudantes que, no ano letivo anterior, tenham obtido aproveitamento excecional, até ao limite máximo fixado nos termos do artigo n.º 6 do Regulamento de Atribuição de Bolsas por Mérito da FCO/ Fundação Convento da Orada (http://esg.pt/images/pdfs/regulamento_da_bolsa_de_merito_fco.pdf). A bolsa de estudo por mérito corresponde a um valor pecuniário fixado anualmente.

Em conformidade com o respetivo Regulamento, os critérios no ato de seleção abrangem os estudantes com aproveitamento excecional e que satisfaçam, cumulativamente, as seguintes condições:

  1. No ano letivo anterior ao da atribuição da bolsa tenha obtido aprovação em todas as unidades curriculares, num mínimo de 60 créditos ECTS aprovados, que integram o plano de estudos do ano curricular em que se encontrava inscrito;
  2. A média ponderada das unidades curriculares a que se refere a alínea a) tenha sido igual ou superior a Muito Bom (16 valores).

Câmaras Municipais Portuguesas

O direito a uma justa e efetiva igualdade de oportunidades no acesso e sucesso escolares, consagrado na legislação, constitui um objetivo fundamental da política educativa que as autarquias locais, no âmbito das suas atribuições, ajudam a concretizar.

As Câmaras Municipais da Região Norte de Portugal a seguir indicadas atribuem bolsas de estudo ou outros benefícios sociais a estudantes do Ensino Superior.

Para mais informações (regulamentos e procedimentos) devem dirigir-se ao respetivo órgão de interesse.
Caso seja residente em Concelho não referenciado, pode igualmente dirigir-se ao mesmo para obter informações.

Câmaras Municipais da Região Norte de Portugal:

Ayuntamientos de Espanha

As bolsas dos Ayuntamientos de Espanha são concedidas anualmente e são da responsabilidade dos respetivos Ayuntamientos.

Para mais informações, consultar responsável pelo GAA ou dirigir-se diretamente aos Serviços Sociais e Educação do respetivo Ayuntamiento.

  • Bolsa do Ayuntamiento do Porriño
    Para estudantes da Escola Superior Gallaecia, que habitem ou sejam naturais do Porriño, Espanha.
  • Bolsa do Ayuntamiento do Tomiño
    Para estudantes da Escola Superior Gallaecia, que habitem ou sejam naturais de Tomiño, Espanha.
  • Bolsa do Ayuntamiento de Baiona
    Para estudantes da Escola Superior Gallaecia, que habitem ou sejam naturais de Baiona, Espanha.
  • Bolsa do Ayuntamiento de Tui
    Para estudantes da Escola Superior Gallaecia, que habitem ou sejam naturais de Tui, Espanha.
  • Plataforma Europeia de Pesquisa de Bolsas de Estudo

    O European-Funding-Guide (Guia de Financiamento Europeu) funciona através de um algoritmo que apresenta apenas as bolsas, financiamentos e prémios que realmente correspondem ao perfil individual de cada aluno. Os 12.000 programas de apoio disponíveis cobrem um vasto leque de domínios para os quais os alunos universitários podem requerer apoio (financeiro) – desde despesas diárias, propinas e estágios a custos extra para semestres no estrangeiro, cursos de línguas e custos associados a projetos científicos.

    Outras Entidades

    Instituição Fundação Rotária Portuguesa
    Promove bolsas para conclusão de um primeiro grau académico, destinada a estudantes portugueses do ensino superior, com aproveitamento escolar e cujos recursos económicos não lhes permitam prosseguir os estudos.

    Para estudantes residentes em Portugal economicamente carenciados para frequência do Ensino Secundário não-obrigatório e do Ensino Superior de graduação.

    Para a atribuição das bolsas a conceder é anualmente aberto concurso, através dos Rotary Clubes portugueses, no mês de Julho, devendo as candidaturas ser presentes à Fundação Rotária Portuguesa impreterivelmente até 15 de Setembro.

    Bolsas de Estudo Leões de Portugal – Associação de Solidariedade Sportinguista, IPSS
    Para estudantes, Sócios do Sporting Clube de Portugal e/ou Leões de Portugal ou, propostos por um sócio de uma das referidas Instituições com mais de 5 anos de inscrição.

    Agência de Inovação
    Fundação para a Ciência e Tecnologia
    Instituto Camões
    Comissão Fulbright
    Fundação Luso-Americana
    Fundação do Oriente
    Embaixada da República Federal da Alemanha, Serviço Alemão de Intercâmbio Académico (DAAD)

    Apoio Bancário

    Empréstimo Bancário para Estudantes do Ensino Superior

    De acordo com o Decreto-Lei n.º 309-A/2007, de 7 de Setembro, foi criado um sistema específico de empréstimos com garantia mútua a estudantes e bolseiros do ensino superior, no âmbito da sua frequência neste nível de ensino, que permite a obtenção, em melhores condições, de financiamento junto de instituições bancárias.
    Fonte: dges.mctes.pt

    Protocolo ESG-BBVA

    A ESG/ Escola Superior Gallaecia elaborou um protocolo com o Banco BBVA, balcão de Valença, que proporciona condições vantajosas aos estudantes da ESG no financiamento da propina da Licenciatura e aos docentes da ESG, no financiamento de Pós-Graduações, MBA, Mestrados e Doutoramentos.
    Para mais informações, dirigir-se ao balcão do BBVA em Valença.

    Voluntariado

    ”Sê voluntário. Faz a diferença!”

    O voluntariado é uma atividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação de solidariedade e de participação cívica individual e comunitária exercida de forma livre, responsável e organizada, tendo em vista a solução dos problemas que afetam alguns grupos sociais ou, mesmo, a sociedade em geral, conforme o consagra a Lei nº 71/2008, de 3 de Novembro, que estabeleceu as bases jurídicas do voluntariado bem como ao Decreto-Lei 389/99 de 30 de Setembro que a regulamenta.

    Conscientes da Responsabilidade Social na promoção do bem comum; a ESG/ Escola Superior Gallaecia tem vindo a apoiar e a promover, centralmente e através das suas unidades orgânicas, diversas atividades de voluntariado em articulação com outras entidades diretamente envolvidas no exercício consciente da solidariedade e da cidadania.
    A participação em ações de voluntariado é extensível a actuais e antigos estudantes, docentes e funcionários, que se queiram envolver em múltiplas atividades de voluntariado, em regime livre e totalmente voluntário.

    Ser voluntário é exercer um direito de cidadania plena e um dever de responsabilidade social, é colaborar na construção de uma sociedade mais justa, mais humana e mais solidária.

    Envolva-se no apoio a pessoas e grupos que precisam de si, através do Grupo de Voluntários da ESG.

    Podem registar-se, de forma livre, voluntária, desinteressada e responsável, de acordo com as sua aptidões próprias e no seu tempo livre, onde se proponham e disponibilizem a participar de forma regular ou em situações pontuais nas ações, nos programas de voluntariado de âmbito transversal promovidos ou apoiados pela ESG.
    Consulte as oportunidades de voluntariado existentes, junto da responsável pelo GAA/ Gabinete Apoio ao Aluno da ESG.

    Queres ser voluntário? Deixamos-te aqui algumas sugestões!

    Banco Local de Voluntariado de Vila Nova de Cerveira

    O Banco Local de Voluntariado de Vila Nova de Cerveira foi criado a 27 de Novembro de 2008, mediante a assinatura de um Protocolo de Colaboração entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e o Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado.

    O que é? O Banco Local de Voluntariado é o local de encontro entre o voluntário e a organização promotora das atividades de interesse social e comunitário.

    Os candidatos a voluntários podem efetuar a sua inscrição sempre que pretendam. Os interessados em participar nas atividades de âmbito social e comunitário neste Concelho dispõem das seguintes áreas para o fazer: Infância, Juventude, Idosos, Educação, Cultura, Ambiente, Desporto e Proteção Civil.

    Contactos:
    Telefone: 251 708 071/ 251 708 020
    Fax: 251 708 039
    Email: bancolocaldovoluntariado@cm-vncerveira.pt 
    Rua das Cortes, n.º 186
    4920-267 Vila Nova de Cerveira

    Serviço Voluntário Europeu

    O Serviço Voluntário Europeu (SVE) divulga oportunidades de voluntariado bem como informações úteis para preparar um período de voluntariado no estrangeiro.

    Portal Europeu da Juventude

    Informações e oportunidades para os jovens na Europa. Mais informação.

    Voluntariado em Portugal

    Vários projetos de voluntariado, em Portugal, em áreas diversas como o apoio às crianças, apoio aos idosos, desporto, etc. Para participar terá que te registar como voluntário e em seguida, depois de escolheres um projeto, fazer a tua inscrição. Neste sítio tens acesso aos contactos das entidades que promovem os projetos. Se tiveres alguma dúvida contacta diretamente as entidades promotoras responsáveis pela gestão dos projetos. Mais informação

    Voluntariado nas Nações Unidas
    Podes encontrar aqui toda a informação sobre voluntariado nas Nações Unidas. Mais informação

    Arquitectos Sem Fronteiras Portugal

    “A Arquitectos Sem Fronteiras Portugal (ASFP) define-se como uma associação independente, sem fins lucrativos e de apoio voluntário, que visa colaborar com comunidades desfavorecidas por condições naturais ou económicas, cooperando com as mesmas na supressão da precariedade e no desenvolvimento das suas atividades, no âmbito específico da arquitetura e urbanismo.

    Criada em 2000, a ASFP procuram reunir arquitetos e outros profissionais, que queiram dar assistência voluntária nos campos do planeamento e do projeto arquitetónico da edificação, do urbanismo, do ordenamento do território e do meio ambiente.”

    Habitat For Humanity Portugal

    A Associação Humanitária Habitat – Habitat for Humanity Portugal é uma organização sem fins lucrativos dedicada à eliminação da pobreza Habitacional. Desde a sua fundação em Portugal em 1996, já apoiou 38 famílias a terem uma casa digna. A AHH – Habitat for Humanity Portugal é uma filial da Habitat for Humanity Internacional, organização filiada em mais de 90 países e que, desde 1976, já ajudou mais de 400.000 famílias em todo o mundo, garantindo a mais de 2.000.000 de pessoas uma habitação segura, digna e de baixo custo. O voluntariado é uma parte essencial no trabalho da Habitat for Humanity Portugal, sem os nossos voluntários nunca iríamos conseguir ajudar tantas famílias a ter uma casa digna. Existem várias formas de fazer voluntariado na Habitat pelo que provavelmente irá encontrar uma que se adeque a si.

    Construção
    A construção é a razão de ser da Habitat e a sua principal atividade. Venha construir connosco e com outros voluntários locais e internacionais.

    Comissões
    Antes de começar um projeto de construção são necessário fazer um trabalho de fundo; esse trabalho é realizado pelas diversas comissões existentes na Habitat. Participe numa das nossas comissões: angariação de fundos, construção e famílias.

    Atividades pontuais
    Existem várias atividades que um voluntário pode desempenhar pontualmente na Habitat, que são uma ajuda preciosa para o melhor funcionamento da organização. Esta participação poderá ser: tradução, acompanhamento de voluntários internacionais, ajuda na organização de eventos e muitos mais.

    Alojamento

    Pousadas de Juventude

    A ESG/ Escola Superior Gallaecia assinou protocolo com o grupo Movijovem, permitindo usufruir de um desconto nas Pousadas de Juventude de Portugal. É o caso Pousada da Juventude de Vila Nova de Cerveira, que fica a 15 minutos da ESG.

    http://www.pousadasjuventude.pt/pt/pousadas/cerveira/
    Telefone: +351 251 796 113
    Email: cerveira@movijovem.pt

    Arrendamento de habitação / apartamento / quarto

    Partilhar uma casa ou um quarto é uma prática comum, geralmente mais económica que o arrendamento individual.
    Informação sobre ofertas de casas, apartamentos e/ou quartos para arrendar pode ser encontrada no Estabelecimento de Ensino afixada em placares ou junto de imobiliárias.

    Incentivos ao Arrendamento_Porta 65

    O Programa Porta 65-Jovem tem como objetivos regular os incentivos a atribuir aos jovens arrendatários, e garantir uma maior equidade e eficiência do apoio público ao arrendamento por jovens.

    O apoio financeiro do Porta 65 – Jovem é concedido sob a forma de subvenção mensal não reembolsável, por períodos de 12 meses, podendo ser renovado em candidaturas subsequentes até ao limite de 36 meses. A subvenção mensal corresponde a uma percentagem do valor da renda mensal.

    Contactos:
    De segunda a sexta, das 9:00 às 17:30 | Tel: 21 723 15 00 (tecla 1)
    De segunda a sexta, das 9:00 às 24:00 | Tel: 707 101 112
    Email: atendimentoporta65jovem@ihru.pt

    Para mais informação, consultar:
    Portal da Habitação
    Portal das Finanças
    Lojas Ponto JA

    Transportes

    Passe sub23

    O passe sub23 destina-se a estudantes do ensino superior, público ou privado, com idade até aos 23 anos, inclusive, que beneficiem da Ação Social Direta no Ensino Superior ou estejam inseridos em famílias que cumpram o critério estabelecido na alínea c) do n.º 2 do artigo 3-A da Portaria n.º 272/2011, de 23 de setembro, conforme alterada pela Portaria n.º 36/2012, de 8 de fevereiro (“Passe Social +”).

    O título de transporte passe “sub23@superior.tp” terá os seguintes descontos sobre o preço dos passes mensais em vigor, designadamente os intermodais, os combinados e os passes de rede ou de linha:

    • 60% para os estudantes beneficiários da Ação Social Direta no Ensino Superior;
    • 25% para estudantes inseridos em famílias que cumpram o critério estabelecido na alínea c) do n.º 2 do artigo 3-A da Portaria n.º 272/2011, de 23 de setembro, conforme alterada pela Portaria n.º 36/2012, de 8 de fevereiro (“Passe Social +”).

    Para ter acesso àqueles descontos, é necessário:

    • obter junto do estabelecimento de ensino uma Declaração de Matrícula sub23, que comprove a matrícula do aluno, bem como se é ou não beneficiário da Ação Social Direta no Ensino Superior;
    • preencher a requisição, disponível nas empresas de transporte, a solicitar o acesso ao benefício, ou no caso dos estudantes abrangidos pela Portaria n.º 272/2011, de 23 de setembro, o Requerimento de Acesso ao Escalão Social +;
    • entregar estes documentos na empresa de transporte para emissão do cartão de passe sub23.

    O cartão é válido por períodos máximos de 4 anos, até ao final do mês em que o aluno completa 24 anos.

    No início de cada ano letivo, é necessário apresentar, no operador de transportes, nova declaração do estabelecimento de ensino e/ou requerimento de acesso ao Escalão Social+, para voltar a ter direito às reduções proporcionadas pelo passe sub23.

    Fonte: IMT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes

    Legislação:

    • Decreto-Lei n.º 203/2009, de 31 de agosto
    • Portaria n.º 982-B/2009, de 2 de setembro, alterada pela Portaria n.º 34-A/2012, de 1 de fevereiro, pela Portaria n.º 268-A/2012, de 31 de agosto, retificada pela Declaração de Retificação n.º 52/2012, de 20 de setembro
    • Portaria n.º 272/2011, de 23 de setembro, alterada pela Portaria n.º 36/2012, de 8 de fevereiro

    Empresas de Transportes Públicos