Território, Ambiente e Urbanismo

IR: David Viana


Breve apresentação da linha de investigação / Research line short presentation
O CIESG desdobra os seus âmbitos de I&DT em linhas de investigação que estruturam a respetiva orgânica e demais desenvolvimento de pesquisa aplicada. Resultante da fusão das anteriores linhas de investigação sobre Ecologia e Ambiente e sobre Urbanismo e Território, constituiu-se a linha de investigação sobre Território, Ambiente e Urbanismo. As áreas científicas dominantes são a Arquitetura, o Urbanismo, a Morfologia, a Ecologia, o Ambiente, a Paisagem e a História, enquadradas a partir de uma perspetiva abrangente e integrada, entre dinâmicas espaciais, sistemas, redes e recursos naturais e culturais. A composição da linha de investigação articula 3 campos de estudo: i) Território transfronteiriço e conetividade urbana e ambiental; ii) Recursos naturais e dinâmicas espaciais; iii) Morfologia urbana e metodologias de análise. Estes campos de estudo, bem como a sua organização, refletem não só a especificidade do projeto educativo e formativo do Mestrado Integrado em Arquitetura e Urbanismo da ESG, mas também as possibilidades de pesquisa inter/transdisciplinares com outras linhas de investigação.

Campos de estudo / Fields of study:

▾ Território transfronteiriço e conetividade urbana e ambiental

Atendendo ao contexto geográfico e cultural da ESG, o campo de estudo tem como foco o Norte de Portugal e a Galiza (Espanha) As paisagens e cidades do Norte Atlântico Ibérico traduzem um território ambientalmente intrincado e interdependente, com dinâmicas desdobradas e complexas que se expressam na fragmentação de tecidos urbanos e dispersão de redes, infraestruturas e equipamentos. O objeto do campo de estudo é o retrato da região, alvitrando estratégias para o aprofundamento de lógicas operativas transfronteiriças, capazes de consolidar a conetividade e a coesão em termos de questões urbanas e ambientais. Os objetivos desenvolvidos prendem-se com a produção e difusão de conhecimento científico sobre problemáticas territoriais, urbanas e ambientais de foro transfronteiriço. Perspetivam-se diagnósticos e análises locais que alimentam processos participados que gerem o desenvolvimento integrado do sistema de conjuntos urbanos, promovendo relações regionais congregantes, capazes de se afirmarem em quadros geoestratégicos não só nacionais mas também globais.

▾ Recursos naturais e dinâmicas espaciais

O campo de estudo direciona-se para a: diversidade da condição de territórios humanizados, considerando a relação entre meios e recursos; pluralidade de apropriações e dinâmicas espaciais, consubstanciadas em lógicas colaborativas de coexistência (in)formal; potencialidade de recursos ecológicos associados ao património e serviços de ecossistemas; análise de riscos e impacto ambiental. O objeto do campo de estudo é a interdependência entre características, potencialidades e constrangimentos de suportes físicos – para além dos respetivos contextos culturais – e as lógicas da sua ocupação espacial, incluindo o efeito das mesmas em termos ecológicos e urbanos. Os objetivos referem-se à sustentabilidade geral de sistemas e territórios, atendendo à crescente necessidade de se estabelecer uma prática projetual e procedimentos interventivos ambientalmente equilibrados, socialmente ajustados e culturalmente significativos.

▾ Morfologia urbana e metodologias de análise

Enquanto campo de estudo transversal aos restantes da linha de investigação, dado considerar-se a morfologia urbana como plataforma comum para o entendimento da interdependência entre forma urbana e mudanças culturais, ambientais, físicas e produtivas, estabelecem-se nexos conectivos entre modelos de ocupação territorial e respetivos resultados na transformação e configuração do espaço em termos sociais, ecológicos, económicos, políticos, entre outros. O objeto do campo de estudo é a evolução da forma urbana, explicada a partir de um enquadramento estrutural. Para o efeito, ensaiam-se diferentes metodologias de análise morfológica (qualitativas e quantitativas, analíticas e normativas) apoiadas na informação e no desenvolvimento de tecnologias analógicas e digitais. Os objetivos relacionam-se com a identificação de regras e padrões a partir de conexões múltiplas e diferenciadas ao nível do suporte físico e ambiental, que tornem possível examinar e explicar formas urbanas densas e compactas, fragmentadas e dispersas, não esquecendo a morfologia de assentamentos vernáculos.

▾ Observatório de Urbanismo e Território Transfronteiriço (OUTT)

No quadro da reestruturação orgânica da Linha de Investigação sobre Território, Ambiente e Urbanismo do CIESG, constitui-se o OUTT/Observatório de Urbanismo e Território Transfronteiriço. Complementarmente aos 3 campos de estudo desta Linha de Investigação, o OUTT perspetiva estreitar a relação entre a investigação produzida e instituições da região (administrativas, associativas, de desenvolvimento e cooperação, investigação, formação/ensino, etc.). O propósito do OUTT é a promoção de leituras informadas sobre problemáticas regionais e/ou locais, município a município, ou inter-concelhias. O objeto do OUTT é o território transfronteiriço entre o Alto Minho (Portugal) e a Galiza (Espanha). O objetivo é o desenvolvimento de estudos de diagnóstico e análise sobre questões ambientais e urbanas com impacto neste território transfronteiriço, para além da sistematização de sínteses relativas a âmbitos correlacionados entre Portugal e Espanha, como os da ecologia, da paisagem, dos recursos, das dinâmicas sociais e espaciais, dos contextos culturais e administrativos, entre outros (como informações técnicas para estudos de impacto ambiental e dados tratados e estruturados para a produção de planos). O conhecimento produzido sobre a região contribui para a discussão/apresentação de pesquisas, apoio à tomada de decisão de autarquias (e outras instituições com capacidade de gestão territorial através do planeamento, por ex.), exposições, workshops, conferências e consultoria técnica e/ou científica. As equipas de trabalho são específicas e designadas trabalho a trabalho, em conformidade com as exigências dos mesmos e dos recursos disponíveis. Pretende-se que o OUTT estabeleça a ponte entre a investigação desenvolvida no CIESG e a comunidade local/regional, trazendo para a Escola as preocupações do seu contexto e devolvendo à região o conhecimento produzido no âmbito desta lógica de colaboração sistemática entre o CIESG, o Alto Minho e a Galiza.

Projectos I&D (R&D Projects)

Está em desenvolvimento, com o CITTA/Centro do Investigação do Território, Transportes e Ambiente, projecto de investigação de pós-doutoramento sobre a [auto]organização e a forma urbana de Maputo, a partir de teorias e técnicas avançadas de análise espacial. Com a pesquisa em curso, pretende-se aprofundar o conhecimento sobre processos auto-organizados de transformação da forma urbana. O principal propósito é reconhecer e caracterizar padrões morfológicos de modo a ser possível correlacionar múltiplas conexões da dimensão física da capital moçambicana. Os objectivos são:

• identificar e tipificar padrões morfológicos a partir de formas urbanas planeadas (resultantes da prática do desenho urbano) e auto-organizadas (consequência de processos bottom-up de transformação da cidade), cruzando análises quantitativas e qualitativas sócio-territoriais;

• indicar e sistematizar modelos, no âmbito de abordagens morfológicas não só quantitativas (nomeadamente a Space Syntax), mas também contextuais, que contribuam para explicar regras e lógicas que estruturam as relações entre cidadãos e espaço urbano (estudo comparativo de distritos urbanos e seus bairros), analisando de maneira comparada os resultados obtidos;

• avaliar o alcance e os limites de abordagens morfológicas quantitativas no planeamento urbano futuro de Maputo. O recurso a abordagens quantitativas e qualitativas sócio-territoriais, para indicar e cruzar modelos que clarifiquem a correspondência entre a forma e a função dos sistemas espaciais comparados, visa entender não só a relevância relativa e contextual, mas também os graus de relacionamento da composição urbana estudada.

O principal resultado será a concretização de múltiplas análises morfológicas relativas à configuração de Maputo, em que dinâmicas socioeconómicas e territoriais fomentam o funcionamento da cidade através da relação entre fluxos de movimentos e a estrutura organizacional da malha urbana. Concluir-se-á em que sentido abordagens morfológicas – quer qualitativas, quer quantitativas – poderão contribuir para a fusão de processos urbanos multi-operativos, com estratégias de auto-replicação que promovam a hibridização entre sistemas planeados e auto-organizados. A investigação, desenvolvida por David Leite Viana, com início em Novembro de 2012 e término previsto para Outubro de 2014, tem como responsáveis científicos os Professores Vítor Oliveira (CITTA/ Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente) e Isabel Raposo (CIAUD/ Centro de Investigação da Arquitectura, Urbanismo e Design).

Maputo Voltar ao topo

Livros, Relatórios e Publicações Digitais (Books, Reports and Digital Publications)

Relatórios

VIANA, D. (2004). Póvoa de Varzim - Relatório de Bolsa "Cidade e Democracia". Porto, Portugal: FJ/Fundação da Juventude, OA/Ordem dos Arquitectos (policopiado)

Publicações Digitais

VelhaTuiNovaVelhaTuiNova, Propostas de Requalificação Urbana para a Cidade de Tui
Projectos Académicos 2008/09
Escola Superior Gallaecia
esg.pt/velhatuinova

Voltar ao topo

Artigos, Capítulos e Comunicações Científicas (Papers, Chapters and Scientific Contributions)

Artigos

VIANA, D. (2013). A urbanização extensiva [in]formal em Maputo a partir da retícula colonial. In Actas do Congresso Internacional – Saber Tropical em Moçambique. História, Memória e Ciência. Lisboa, Portugal: IICT/ Instituto de Investigação Científica Tropical (no prelo)

VIANA, D.; NATÁLIO, A. (2013). Maputo: Inter-relação urbano-habitacional-social. In Actas: 2.º CIHEL – Congresso Internacional da Habitação no Espaço Lusófono. Habitação, Cidade, Território e Desenvolvimento. Lisboa, Portugal: LNEC/ Laboratório Nacional de Engenharia Civil

VIANA, D.; RIVAS, J. L.; NATÁLIO, A. (2013). Apreendendo com a morfologia urbana de Maputo [in]formal. In Revista de Morfologia Urbana. Porto, Portugal: PNUM/ Rede Portuguesa de Morfologia Urbana (em revisão para publicação)

VIANA, D.; RIVAS, J. L.; NATÁLIO, A. (2012). Apreendendo com a morfologia urbana de Maputo [in]formal. In Actas da Conferência Internacional: PNUM 2012 – Morfologia Urbana nos Países Lusófonos. Lisboa, Portugal: ISCTE/ Instituto Universitário de Lisboa, pp. 601-627

VIANA, D. (2012). Espaços urbanos africanos [in]formais. In L. S. Baptista (Dir.) (2012). Contrastes Africanos. Lisboa, Portugal: Revista arqa/ arquitectura e arte, 103 (Set.| Out.), pp.100-103

VIANA, D. (2011). A habitação low-cost [in]formal entre a super e a infra-estrutura. In M. Santos (Coord.) (2011). Problemas da Habitação em África: Reflexões sobre a África de Língua Portuguesa. Porto, Portugal: Africana Studia, 16 - Revista semestral do CEAUP/Centro de Estudos africanos da Universidade do Porto, pp. 13-26

VIANA, D. (2010). African cities: towards a new paradigm – "chameleonic" urbanism for hybrid cities. In Actas: AP2009 – African Perspectives: The Future Life of the African City Centre (Re)Sourced. Pretoria/Tshwane, South Africa: University of Pretoria, pp. 179-187

VIANA, D. (2010). Maputo: entre a cidade compacta, difusa e sem forma. In D. Castro (Coord.) (2010). IPEA Sobe o Morro - Técnicos Foram ao Complexo do Alemão para Radiografar Impactos de Obras em Assentamentos Precários. Brasília DF, Brasil: Desafios do Desenvolvimento, N.º 63 - Revista do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Governo Federal / Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, p. 43

VIANA, D. (2010). A Habitação low-cost [in]formal entre a infra-estrutura e a superestrutura. In Actas: 1.º CIHEL – Congresso Internacional de Habitação no Espaço Lusófono. Desenho e Realização de Bairros para Populações com Baixos Rendimentos. Lisboa, Portugal: Argumentum, pp. 65-70

VIANA, D. (2009). Maputo: transformación de una estructura urbana de origen portugués. Una contribuición para la recualificación del espacio urbano. In L. Santos y Ganges & M. Jiménez Jiménez (Coords.) (2009). La Naturaleza en la Ciudad: Lugares y Procesos. Valladolid, Espanã: Ciudades, 12 - Revista anual del IUU-UVa/Instituto Universitario de Urbanística de la Universidad de Valladolid, pp. 233-241

Capítulos de livros

VIANA, D.; CARVALHO, I. (2012). A decisão em Arquitectura e Urbanismo: entre o Desenho, o Projecto e a Obra. In J. Alves & A. Neto (Coords.) (2009). Decisão – Percursos e Contextos. Porto, Portugal: Jsamed Edições, pp. 165-169

VIANA, D. (2011). Maputo: Between Density, Fragmentation and Formless?. In P. Pinho & V. Oliveira (Eds.) (2011). Bringing City Form Back in to Planning - CITTA 3rd Annual Conference on Planning Research. Porto, Portugal: FEUP Edições / FCT, pp. 535-553

VIANA, D. (2009). Historical centre of Porto – Mapping (the) essences. In S. Milão (Coord.) (2010). RegenLAB: New Cartographies of the Creative Cities. Porto, Portugal: Ideias Emergentes, pp. 33-38

VIANA, D. (2008). Requalificação urbana e rural. In G. Carlos (Coord.) (2008). Velha TUI Nova - Propostas de Requalificação Urbana para a Cidade de Tui. Vila Nova de Cerveira, Portugal: Escola Superior Gallaecia, p. 38

VIANA, D. (2004). Edifici pubblici e di servizio collettivo. In D. Viana & S. Nobre (Coords.) (2004). A Tentação do Traço – J.J. Silva Garcia, Arquitecto. Milão, Itália: Tre Lune Edizioni, pp. 24-25

Apresentação de comunicações

VIANA, D. "Hibridismo e auto-organização"; 2.º Seminário – Métodos Formais e Semiformais em Arquitectura: Porto, Portugal, Maio de 2013

VIANA, D. "A forma urbana de Maputo"; Aula aberta a convite do Prof. Vítor Oliveira: ULP/ Universidade Lusófona do Porto, Portugal, Abril de 2013

VIANA, D. "Problemáticas urbano-habitacionais em Moçambique"; 10.ª Conferência CEAUP: FLUP/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Portugal, Novembro de 2012

VIANA, D. “Apreendendo com a morfologia urbana de Maputo [in]formal”; Conferência Internacional – PNUM 2012. Morfologia Urbana nos Países Lusófonos: ISCTE/ Instituto Universitário de Lisboa, Portugal, Julho de 2012

VIANA, D. "(Breves) apontamentos sobre o Norte Atlântico Ibérico"; Seminário – Território e Cidades do Norte Atlântico Ibérico: Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, Portugal, Janeiro de 2012

VIANA, D. "Urbanismo e regeneración do centro histórico"; I Xornada de Urbanismo Comercial: Parador de Tui, Espanha, Outubro de 2011

VIANA, D. "African city and [in]formal planning"; Fluxus - Conference on Social Appropriations and Usage Conflicts in African Cities: ISCTE-IUL/Instituto Universitário de Lisboa, Portugal, Setembro de 2011

VIANA, D. "Urban culture transition: inhabiting the city as a new culture"; EURA Conference 2011 (European Urban Research Association) – Cities Without Limits: Copenhaga, Dinamarca, Junho de 2011

VIANA, D. "Espaço e lógica [in]formal"; Seminário – Métodos Formais e Semiformais em Arquitectura: Porto, Portugal, Maio de 2011

VIANA, D. "Maputo: entre o espaço urbano [in]formal. Perspectivas"; Conferência – Casas e Paisagens de outras Latitudes: UTAD/ Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal, Outubro de 2010

VIANA, D. "[In]formal planning to the African City: an integrated and systemic approach"; CIEA7 – Congresso Ibérico de Estudos Africanos. 50 Anos das Independência Africanas (Desafios para a Modernidade): ISCTE-IUL/ Instituto Universitário de Lisboa, Portugal, Setembro de 2010

VIANA, D. "Maputo: transformação de uma estrutura urbana de origem portuguesa"; Conferência: ESG/Escola Superior Gallaecia, Vila Nova de Cerveira, Portugal, 2008

VIANA, D. "Urbanismo colonial em África – passado e presente"; Conferência Paralelas: UTAD/Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal, Maio de 2007

VIANA, D. "Maputo: do paradigma colonial urbano à 'periferização' do espaço público contemporâneo"; Conferencia: ESG/Escola Superior Gallaecia, Vila Nova de Cerveira, 2006

Organização de Eventos Científicos (Organization of Scientific Events)

Voltar ao topo

Conferência "FORMAÇÃO DE NOVOS DOMICÍLIOS – TENURE CHOICE E POLÍTICA HABITACIONAL NO BRASIL"

Organização
• ESG/Escola Superior Gallaecia | Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo
• CI-ESG/Centro de Investigação da Escola Superior Gallaecia | Urbanismo & Território

Local
• ESG/ Escola Superior Gallaecia, Vila Nova de Cerveira, Portugal

Data
• 10 de Janeiro de 2013

Campo de Estudo
• Processos de urbanismo [in]formal

Objectivos
• Apresentação de processos de formação de novos domicílios
• Indicar a especificidade da participação pública na abordagem às problemáticas habitacionais
• Explicar a especificidade da política habitacional no Brasil e respectivo impacto nas cidades

Resumo do evento
A economista e investigadora do IPEA/ Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Brasil), Maria da Piedade Morais, explanou a experiência e as metodologias aplicadas no IPEA a propósito de problemáticas relativas à formação de novos domicílios, respectivos processos de participação pública, envolvimento das comunidades, análise urbano-económica de escala macro e suas implicações na política habitacional brasileira. A partir de métodos quantitativos, aprofundou-se o quadro multi-operativo através do qual são elencadas estratégias de intervenção em contextos urbanos que apresentam fragilidades estruturais quanto à oferta e tipo de habitação e como esta situação pode ser também inferida pelos níveis de infra-estruturação geral dos espaços urbanos, não esquecendo os serviços urbanos e devida articulação com equipamentos de proximidade para apoio local de populações

 Conferência Maria Piedade Morais

SEMANA DO URBANISMO & TERRITÓRIO

Organização
• ESG/Escola Superior Gallaecia | Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo
• CI-ESG/Centro de Investigação da Escola Superior Gallaecia | Urbanismo & Território
• ACITUI/ Associação de Comerciantes e Industriais de Tui

Local
• ESG/ Escola Superior Gallaecia, Vila Nova de Cerveira, Portugal
• Parador de Tui, Espanha

Data
• 6, 11, e 16 de Outubro de 2012

Campo de Estudo
• Território transfronteiriço e dinâmicas urbanas
• Processos de urbanismo [in]formal
• Morfologia urbana e metodologias de análise

Objectivos
• Enquadrar princípios orientadores para a organização de elementos estruturadores da forma urbana
• Indicar vectores determinantes para boas-práticas de desenho urbano
• Apresentação de soluções urbanísticas para espaços públicos de centros históricos
• Explanação de contrastes relativos à problemática urbano-habitacional em contextos de informalidade

Resumo do evento
No âmbito da comemoração do mês da Arquitectura, dedicado às cidades e aos arquitectos, e das UC’s de Projecto-Urbanismo, História da Cidade, Teoria Urbanística, Planeamento e Gestão Urbanística e Projecto-Dissertação do Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo, em articulação com a linha de investigação sobre Urbanismo & Território do CI-ESG, aprofundou-se o conhecimento sobre problemáticas do espaço urbano, da paisagem, sistemas e redes, da forma e análise morfológica, entre outros, contando com o contributo de convidados em conferências, aulas abertas, apresentações e outras actividades.

No dia 6, o Arq. Pedro Partidário (ESG/ Escola Superior Gallaecia) apresentou o projecto para o Bairro das Areias Velho, em Loures, discorrendo sobre o planeamento participativo e processos de actuação em áreas de génese ilegal. Mercedes Pérez (Ecologia/Paisagismo) e Gérman Camino (Arquitectura/Urbanismo) desenvolveram, na sua comunicação, a noção do “verde” como material de projecto, através de um conjunto de trabalhos em que aprofundaram este conceito operativo. O Prof. Paulo Tormenta Pinto (ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa) estabeleceu um quadro teórico relativamente a problemáticas relevantes para a compreensão da cidade contemporânea e explicou alguns dos seus trabalhos mais recentes.

No dia 11, os arquitectos da “Acanto”, António Sá Machado e João Paulo Delgado, explanaram a metodologia e procedimentos próprios do projecto urbanístico, a partir de planos e obras que concretizaram para o espaço urbano de alguns municípios minhotos. Seguidamente, o Arq. Manuel Saldanha (OA/ Ordem dos Arquitectos) enunciou elementos determinantes das formas urbanas, articulando-os com o respectivo papel para as estruturas das cidades.

No dia 16 de Outubro, o Arq. Mário Rosário (ISCTEM/ Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique), a propósito de Moçambique, estabeleceu uma correlação entre questões relativas à habitação e tipologias, às cidades e suas dinâmicas, ao território e respectivos recursos, expondo contrastes que caracterizam espaços urbanos e rurais daquele país africano.

Programa

Semana do Urbanismo e Território

I Xornada de Urbanismo Comercial

Organização
• ESG/Escola Superior Gallaecia
• Axuntamento do Concelho de Tui
• Associação de Comerciantes e Industriais de Tui

Local
• Hotel/Parador da Cidade de Tui, Tui, Espanha

Data
• 28 de Outubro de 2011

Campo de Estudo
• Território Transfronteiriço e Dinâmicas Urbanas

Objectivos
• Enquadrar a vitalidade do Centro Histórico de Tui
• Debater o papel do designado «Urbanismo Comercial» na regeneração do Centro Histórico
• Indicar medidas de requalificação urbana em articulação com dinâmicas de âmbito regional e transfronteiriças

Resumo do evento
A iniciativa estabeleceu o diálogo entre especialistas e a população em geral, indagando directrizes para a revitalização do Centro Histórico como factor de atractividade para a cidade de Tui através do desenvolvimento e aplicação de propostas urbanísticas capazes de promover não só a requalificação física do tecido urbano mas também com a preocupação de intervir sobre problemáticas de matriz social, cultural e económica: regeneração do Centro Histórico segundo abordagens que preconizem não só o desenvolvimento de sistemas, redes, equipamentos, infra-estruturas e demais elementos estruturadores da morfologia urbana, mas também a própria dimensão humana associada - suas dinâmicas e relações complementares. Debateu-se também o papel do designado «Urbanismo Comercial» na reabilitação do Centro Histórico e suas vivências

Programa do evento

Território e Cidades do Norte Atlântico Ibérico

Organização
• ESG/Escola Superior Gallaecia • Câmara Municipal de Viana do Castelo

Local
• Biblioteca Municipal de Viana do Castelo (Sala Couto Viana), Portugal

Data
• 20 de Janeiro de 2012

Campo de Estudo
• Território Transfronteiriço e Dinâmicas Urbanas

Objectivos
• Enquadrar o âmbito regional e urbano da Galiza e do Norte Atlântico português
• Estabelecer um retrato sobre dinâmicas urbanas transfronteiriças do Norte Atlântico Ibérico
• Reflectir sobre estratégias urbanas para o território e as cidades do Norte atlântico Ibérico

Resumo do evento
O Seminário teve início com as palavras de boas-vindas do Eng. José Maria Costa (Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo) e da Prof.ª Mariana Correia (Presidente do Conselho de Direcção da ESG/Escola Superior Gallaecia). Tendo como missão enquadrar o potencial de interacção entre cidades médias do Noroeste da Península Ibérica, o Seminário contou com oradores convidados da ESG/Escola Superior Gallaecia, da UVa/Universidad de Valladolid, da UP/Universidade do Porto e da UTAD/Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, representantes de Baiona e de Pontevedra, para além dos Presidentes de Câmara de Vila Nova de Cerveira e de Viana do Castelo. A Comissão Científica do Seminário, constituída pelos oradores convidados para as duas sessões plenárias, foi coordenada pelo Prof. David Leite Viana, da ESG/Escola Superior Gallaecia.

A primeira sessão plenária, moderada pelo Mestre Arq. Paulo Guerreiro (ESG/Escola Superior Gallaecia), começou com a apresentação da comunicação do Prof. David Leite Viana, na qual foram elencados apontamentos sobre a condição urbana do Norte Atlântico Ibérico. Seguidamente, o Prof. Manuel Correia Fernandes (UP/Universidade do Porto) direccionou a sua intervenção para as "políticas" que têm produzido o território e as cidades que o organizam. Após uma pausa para café, o Prof. Francisco Fumega (ESG/Escola Superior Gallaecia) abordou o processo urbano na Galiza e respectivos desafios ambientais. A manhã terminou com a apresentação do livro do Prof. Vítor Oliveira (UP/Universidade do Porto): Avaliação em Planeamento Urbano - sobre processos, planos e resultados.

O Prof. Juan Luis de las Rivas Sanz (UVa/Universidad de Valladolid) deu início à segunda sessão plenária (moderada pelo Vereador da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Arq. Luís Nobre), ao qual se seguiu a Prof.ª Laura Roldão da Costa (UTAD/Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro), focando a problemática da estrutura ecológica no planeamento e no projecto (a partir de estudos de caso apresentados). O Seminário continuou com uma "mesa redonda", moderada pelo Mestre Arq. Rui Correia (ESG/Escola Superior Gallaecia), sobre o potencial de interacção entre cidades médias do Noroeste da Península Ibérica, na qual participaram os oradores convidados, os presidentes de Viana do Castelo e de Vila Nova de Cerveira, a Conselheira de Urbanismo de Baiona e um representante de Pontevedra. Após um "verde de honra", o Prof. Manuel Correia Fernandes procedeu à síntese do Seminário e o Eng. José Maria Costa, Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, encerrou o Seminário com a Sessão Solene da Comemoração do Dia da Cidade.

Programa do evento

Territórios e Cidades do Norte Atlântico

Território e Cidades do Norte Atlântico Ibérico (Exposição)

Organização
• ESG/Escola Superior Gallaecia • Câmara Municipal de Viana do Castelo

Local
• Espaço Cultural do Estação Viana Shopping, Viana do Castelo, Portugal

Data
• 20 a 30 de Janeiro de 2012

Campos de estudo
• Território Transfronteiriço e Dinâmicas Urbanas • Morfologia Urbana e Metodologias de Análise

Objectivos
• Apresentação de propostas académicas desenvolvidas pelos estudantes do Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo da ESG/Escola Superior Gallaecia para a reabilitação do Centro Histórico de Tui e para a requalificação urbana da Meadela (Viana do Castelo)
• Revelar análises sobre a morfologia urbana de Tui e da Meadela
• Expor a experiência pedagógica e metodológica da ESG/Escola Superior Gallaecia na didáctica de matérias do Urbanismo.

Resumo do evento
A exposição incidiu sobre a revitalização do tecido urbano consolidado em processo de degradação e a articulação de áreas periféricas em transformação. Estiveram patentes trabalhos de estudantes do Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo que respondiam a problemáticas urbanas de Tui e Viana do Castelo, consolidados na experiência adquirida nos exercícios curriculares e na reflexão académica desenvolvida na ESG/Escola Superior Gallaecia. Os participantes do Seminário tiveram contacto com o resultado da análise à transformação morfológica (mas não só) da Meadela e do Centro Histórico de Tui. Na apresentação da exposição, que teve lugar após o almoço, os responsáveis pela Unidade Curricular de Projecto-Urbanismo (David Leite Viana) e de Planeamento (Paulo Guerreiro) referenciaram ser possível perspectivar denominadores comuns que se fazem sentir em questões indexadas ao território, à paisagem, às cidades e respectivos "centros"(históricos), às infra-estruturas, aos equipamentos e outros dispositivos tipo-morfológicos indutores de dinâmicas de crescimento e expansão/dispersão de áreas urbanizadas e demais redes, aos sistemas e estruturas ecológicas. Com esta exposição a ESG/Escola Superior Gallaecia - tirando partido da sua posição transfronteiriça privilegiada - demonstrou a respectiva mais-valia no âmbito da discussão e proposição de metodologias e soluções urbanísticas para a requalificação urbana, não só no contexto do paradigma genérico da cidade actual, mas, sobretudo, nos paralelismos e/ou assimetrias patentes entre o Norte de Portugal e a Galiza.

Territórios e Cidades do Norte Atlântico

Velha TUI Nova - Propostas de Requalificação Urbana para a Cidade de Tui

Organização
• ESG/Escola Superior Gallaecia • Concelho de Tui • ACITUI, Tui

Apoio
Europac Embalagem, S.A. - Portucel, Guilhabreu

Local
• Biblioteca Municipal - Edifício Area Panorámica, Tui, Espanha

Data
• 22 de Julho a 9 de Setembro de 2011

Campo de Estudo
• Território Transfronteiriço e Dinâmicas Urbanas

Objectivos
• Apresentar propostas académicas desenvolvidas pelos estudantes do Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo da ESG/Escola Superior Gallaecia para a reabilitação do Centro Histórico de Tui e sua articulação com o rio
• Promover a discussão pública sobre a regeneração urbana por via da requalificação do espaço público
• Expor resultados da experiência pedagógica e metodológica da ESG/Escola Superior Gallaecia na didáctica de matérias do Desenho Urbano

Resumo do evento
A exposição contou com a presença do Alcalde de Tui (Moises Rodriguez), do Presidente da ACITUI (Jorge Alvarez), com o Director e Vice-Director do Mestrado Integrado em Arquitectura e Urbanismo da ESG/Escola Superior Gallaecia (Rui Correia e Gilberto Carlos, respectivamente). Estiveram patentes propostas para Tui, perspectivando de que forma se poderá encetar uma maior e mais adequada articulação entre o Centro Histórico daquela cidade e o seu rio. Os trabalhos consistiam em estratégias para tornar mais interactuantes o Centro Histórico de Tui e o rio através de soluções urbanísticas ancoradas em conceitos fortes e acções criativas não só para a macro-escala, mas também para o desenho urbano de um pequeno espaço público

Expo Tui

Redes e Alcance Exterior (Network and Outreach)

PNUM
A ESG/ Escola Superior Gallaecia integra a Rede Portuguesa de Morfologia Urbana (PNUM)

Apoio Institucional
A ESG/ Escola Superior Gallaecia apoia institucionalmente a realização do 2º CIHEL/ Congresso Internacional da Habitação no Espaço Lusófono

A ESG/ Escola Superior Gallaecia apoia institucionalmente a realização do PNUM 2013